Não desista de si!






Ao não tentar, não aprende. E aí, sim, está a falhar

O processo criativo pode revelar-se um trabalho árduo e frustrante, quando se pretende atingir a originalidade.

Quando estamos expostos à pressão, e/ou quando sentimos que está tudo contra nós, revela-se de tal forma doloroso, que não conseguimos suportar por mais tempo a tensão.

Imediatamente a seguir, pensamos em desistir. De acordo com a Dica Arte Bem-Viver, se você está num processo criativo e está prestes a desistir, não o faça, porque o tempo de mudança está prestes a surgir e as probabilidades do meio criativo, em que você está envolvido, estão a seu favor.

Quando estamos envolvidos no processo criativo, a questão principal não tem a ver propriamente connosco (ego), mas com aquilo com que podemos contribuir (talentos) de uma forma abnegada e comprometida para o mundo à nossa volta. Estes são os motivos pela qual estamos motivados e envolvidos em criar algo novo.

Podemos questionar se valerá a pena a persistência e o propósito, claro que vale a pena! Nunca iremos saber ou antecipar, com certeza e exatidão, qual o impacto que terá na vida dos outros. Tudo aquilo que fazemos é importante.

O nosso trabalho é continuar a dar o nosso melhor possível e colocar de lado as expetativas. A melhor parte do nosso trabalho é partilhar aquilo que temos para oferecer. Seremos mais felizes e recompensados. Apesar de a vida ser difícil, se formos íntegros de acordo com valores morais e universais, iremos encontrar mais motivos para ser felizes.

O mundo necessita da sua mente brilhante e do seu coração apaixonado, mesmo que você não acredite nisso. Seja você mesma e expanda a sua zona de conforto.

Levante-se, cresça e permita que a sua luz (interior) brilhe.

Eu quero (o quê?), eu posso (como?) e escolho (decisão).

“Se você não tenta, não falha. Se você não falha, não aprende. Se você não aprende, está a falhar.” Om Malik

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Como criar um terraço mediterrânico