O futuro está nas suas mãos


Os conselhos dos mais reputados especialistas em autoajuda e desenvolvimento pessoal




Eram nove horas da manhã de sábado e a fila para entrar já dava uma volta ao quarteirão, algures perto de Russell Square, em Londres. A expetativa era grande e o entusiasmo dos participantes visível.
Todos sabiam que tinham de chegar cedo para ficar com os melhores lugares no seminário «I can do it», organizado pela conhecida editora de livros de autoajuda Hay House.
O fim de semana, que estava esgotado há mais de um mês, ia ser preenchido com oradores conhecidos mundialmente pelos livros já publicados e pelas novas tendências de autoajuda e desenvolvimento pessoal que defendem. No auditório, as cerca de mil pessoas entravam para o espaço daquele que era anunciado como o maior evento mundial para a trilogia mente, corpo e espírito e travavam conhecimento com quem se sentava ao seu lado.
Mas o que traz tanta gente a este tipo de evento e o que procuram? A maioria dos participantes eram mulheres, mas também se encontravam alguns homens, habitualmente menos assíduos nestas reuniões. Sinal de que o sexo masculino está cada vez mais atento ao poder da mente. A faixa etária dos participantes rondava os 40-50 anos e, na audiência, era fácil encontrar mulheres que se encontravam num ponto de viragem, ou porque se divorciaram, ou procuravam um novo rumo profissional ou tentavam encontrar uma nova direção nas suas vidas.

Vencer o inimigo

Tudo está bem! Esta é a frase da primeira página do caderno que nos foi oferecido à entrada, e é uma das afirmações positivas de Louise L. Hay, a mulher que, aos 86 anos, é conhecida como a mestre e é dona de um império editorial (Hay House) na área da formação e dos livros de autoajuda. Estava dado o mote para o início do evento. O primeiro orador da manhã foi Wayne W. Dyer, psicoterapeuta e autor de bestsellers como «Chega de Desculpas», «O Poder da Inspiração»,«As Suas Zonas Mágicas», entre outros, editados em Portugal.

A plateia levantou-se para receber o homem que, após um diagnóstico de leucemia, aos 70 anos, controlou a doença através do poder da sua mente. Durante duas horas e meia, este orador nato andou pelo palco a contar uma série de histórias que, no essencial, nos aconselham desligar-nos mais do nosso ego e a acreditar que ao encontrar a nossa alma (um lugar invisível dentro de nós) estaremos sempre apoiados. Outra das grandes lições de Wayne é que a nossa alma é infinita e, por isso, não pode ficar numa caixa fechada, e a melhor forma de impedir que isso aconteça é seguir aquilo que nos apaixona.
A última meia hora do espaço deste autor foi preenchida com a convidada Anita Moorjani, uma mulher indiana que espantou o mundo da medicina ao recuperar de um cancro que a tinha posto às portas da morte, em menos de um mês. Anita Moorjani contou a sua experiência à audiência e justificou que foi o medo que tinha de viver que fez desenvolver esta doença. No final do seu discurso, que emocionou até às lágrimas os presentes, revelou o que viu e sentiu nos momentos em que esteve quase a morrer e como foi através do seu poder para controlar os pensamentos negativos que optou por viver, recuperando quase instantaneamente.
Uma história contada na primeira pessoa que soou a milagre, mas que nos ensinou que não podemos viver com medo. Depois do almoço ouvimos mais cinco oradores que, com diferentes ângulos, defendiam que temos de acreditar e viver com plenitude os nossos sonhos. Se ainda não os localizámos, temos de procurar o que mais nos entusiasma e o que nos faz sentir felizes.

Despertar a consciência

No dia seguinte, o ambiente continuava frenético e, com muitas amizades conquistadas, já se conversava sobre o futuro e discutia-se sobre o que disseram os oradores.
A primeira sessão da manhã foi aberta com Louise L. Hay, que fez a audiência vibrar com as suas palavras. À mestre juntou-se a autora Cheryl Richardson, com quem conversou.
A sua mensagem mais importante consistiu em despertar a nossa consciência para a importância dos pensamentos, desde a altura em que acordamos até nos deitarmos.
Mostrar como é determinante gostar da vida que vivemos deve ser outra prioridade. Um dos exemplos utilizados foi o facto de olharmos para o nosso guarda-roupa e dizermos que não temos nada para vestir! O que aconselham é evitar este tipo de afirmações e cultivar uma atitude em que nos sentimos bem com o que temos. Ao controlar as nossas afirmações negativas, conseguimos manter uma auto-relação positiva e feliz, e ao localizar os pensamentos negativos conseguiremos sempre mudá-los.

Outro dos pontos altos do segundo dia foi a intervenção de Brian Weiss, um especialista em reincarnação e exploração de vidas passadas como uma forma de terapia para resolver fobias. Segundo este psiquiatra, nós não somos seres humanos mas sim seres espirituais que estão a viver uma experiência humana. Durante cerca de meia hora, toda a audiência tentou fazer uma regressão ao passado e as cerca de mil pessoas que estavam presentes fecharam os olhos e seguiram as palavras do autor.
A seguir, o autor John C. Parkin, através da sua terapia F**k it, pôs toda a audiência a cantar uma música que ele próprio criou para ultrapassar os seus medos de a apresentar em público. Be real, be true... feel free to follow your heart whenever it takes you... Seja real, seja verdadeiro... e sinta-se livre para seguir o seu coração onde quer que este o leve!
Mas uma das intervenções mais marcantes deste dia, tendo em conta os tempos de crise que vivemos, foi a da Marie-Claire Carlyle, que através do conceito do íman do dinheiro revelou os segredos para atrair e fazer mais dinheiro. No essencial, é importante desenvolver uma nova mentalidade que passa por ter atitude positiva para atrair mais dinheiro, fazendo-o surgir em abundância. Foi nesta altura que os participantes no evento se concentraram em descobrir como é que podem alinhar o seu lado consciente com o inconsciente, para conquistarem mais dinheiro.
Foram dois dias de intensos pensamentos positivos, inesquecíveis pelo poder que transmitiram, e de exploração de novas realidades intangíveis, mas que podem vir a fazer a diferença na nossa vida. Participei neste seminário sem expectativas, mas depois de ouvir tantos ensinamentos, quem sabe se não se abrirão novos rumos?

6 passos para conseguir o que quer na vida

1. Imagine que algo que queremos que aconteça é possível.
2. Desenvolva uma boa atitude.
3. Pratique a gratidão.
4. Encare os altos e os baixos como normais.
5. O que quer que faça, faça-o com simpatia e amor.
6. Sempre que o medo surja, tente rir ou dançar, e recorra a afirmações positivas para controlar esses receios.

Aprenda com os especialistas

«O presente é que cria o passado e por isso temos de viver no presente», refere Wayne W. Dyer, psicoterapeuta.
«Todas as manhãs digo a mim própria que gosto muito de mim e que vou ter um dia ótimo! Porque são os nossos pensamentos que criam o nosso futuro», recomenda Louise L. Hay, a mestre dos autores motivacionais.
«O seu nível de riqueza não é determinado por quanto ganha. Mas sim por quanto lhe sobra no final do mês para investir em si», sugere Marie-Claire Carlyle, autora motivacional.
Texto: Sofia Ramos

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Como criar um terraço mediterrânico