O coaching na gestão de carreira feminina

«Encontre as respostas a algumas das suas dúvidas

Como faço para me sentir mais realizada em termos profissionais? Como conciliar o tempo familiar e as exigências profissionais?

Como faço para me sentir mais auto-confiante? Como garantir um excelente desempenho nos vários papéis que tenho em simultâneo, como mulher profissionalmente activa?

Como conciliar uma perspectiva de carreira aliciante, sem prejudicar o tempo disponível para lazer? Estas são algumas das questões com as quais nos defrontamos na hora de fazer escolhas.

Estes são também alguns dos desafios que o processo de coaching nos permite entender, de uma forma um pouco diferente da tradicional consultoria e aconselhamento, pois contempla a flexibilidade, a individualidade de cada pessoa e das suas questões. A principal missão do coach é dotar as pessoas de mais e melhores recursos, focando-as nas soluções, na definição de metas e objectivos, estimulando a acção e as escolhas.

Ao longo da minha experiência como coach, tenho contactado com várias mulheres que me questionam sobre como lidar com alguns preconceitos e estereótipos, como rentabilizar o seu tempo, como ascender na carreira, como lidar com as emoções, que escolhas fazer para se sentirem realizadas e felizes. Tudo isto, conciliando a vida pessoal e profissional. Acredito que estas serão as questões da maioria de nós. A boa notícia é que as respostas não são tão complexas como por vezes as visualizamos!
Muitas mulheres desistem de apostar na sua carreira, por questões físicas (crenças aliadas à idade, ao sexo, à fisiologia); emocionais (por questões de auto-estima, stress, ansiedade e à velha questão do sentimentalismo feminino); mentais (por não saberem gerir o tempo, os recursos, por não definirem objectivos), e mesmo espirituais (não sabem que carreira querem realmente, nem qual o significado maior na sua vida).
Se tivesse que deixar algumas dicas práticas para começar agora a produzir resultados diferentes e encontrar algumas respostas às questões iniciais deste artigo, eis as minhas recomendações:

- A auto confiança é como um músculo que se desenvolve e fortalece, para praticá-lo deve diariamente fazer algo que por hábito negligencia. Durante a próxima semana imagine que é 100% auto confiante. Respire como se fosse auto confiante, ande como se fosse auto confiante, sente-se como se fosse auto confiante, fale como falam os auto confiantes e desafie-se com novas acções (cumprimente desconhecidos, dê feedbacks construtivos a amigos e colegas, sorria ao espelho diariamente e elogie-se).

- Faça uma lista dos 10 valores que têm que estar presentes no meu trabalho ideal (remuneração elevada, relacionamento interpessoal, perspectiva de carreira, etc.) – o seu grau de realização deriva do grau de satisfação dos seus valores para o trabalho ideal.

- Faça um planeamento gráfico de um dia, uma semana e um mês de trabalho ideal, contemplando o que é importante para si e atribuindo um tempo mínimo obrigatório para cada uma das áreas (família, amigos, trabalho, lazer). A única forma de sabermos se determinadas estratégias funcionam é “fazendo”, por isso sugiro que durante os próximos dias execute estas sugestões e partilhe comigo resultados assim como outros desafios para os quais procura respostas.

Há uns anos atrás, também eu questionei a minha carreira, o meu papel profissional e o meu potencial como pessoa. Nessa altura abracei um novo projecto, como coach e formadora na LIFE Training, funções que actualmente me preenchem e realizam plenamente. Sendo a nossa missão na empresa “inspirar decisões apaixonadas”, espero que este artigo vos inspire a definir objectivos ambiciosos.»

Núria Mendoza
Trainer & Coach na
LIFE Training

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Como criar um terraço mediterrânico