O que a pele pede aos 30 anos

As manchas e a falta de luminosidade são alguns dos principais problemas da tez nesta idade

O que a pele pede aos 30 anos

Diz quem sabe que é a melhor década da mulher. À frescura que o seu corpo e o seu rosto (ainda) exibem associa-se a vitalidade característica desta fase, à qual se conjuga (já) alguma experiência.


Nem tudo são, contudo, vantagens, sobretudo para quem não tem uma pele fácil, como é o caso de Inês Reis, designer, 33 anos. «Tenho a pele mista e quero equilibrá-la para evitar a acne e a oleosidade na zona T», afirma.


«Para além disso, também pretendo evitar a secura nas maçãs do rosto e preocupo-me em manter a pele luminosa. No corpo, preocupo-me com a hidratação e elasticidade da pele», refere ainda. Para as peles mistas, David Serra, dermatologista na Idealmed da Unidade Hospitalar de Coimbra, recomenda cuidados específicos.
«A zona T pode, muitas vezes, dispensar o uso de hidratante ou, em alternativa, beneficiar com a utilização de um sérum leve. No resto do rosto, onde a pele está mais equilibrada, pode optar-se, regra geral, por uma emulsão», sugere a designer de revistas como a Saber Viver.


Para dar luminosidade à tez, também existem cosméticos que se podem revelar eficientes. «Nesta pele, os produtos com vitamina C costumam resultar bem, contribuindo para uma maior luminosidade e tendo efeitos antiacne e antienvelhecimento. No dia a dia, a maquilhagem tem um papel essencial, bem como alguns cuidados suplementares como as máscaras faciais. Os peelings e a mesoterapia também são muito eficazes», assegura o especialista.


Para hidratar o corpo, a solução passa por fórmulas com maior poder de hidratação. «Os cremes para pele atópica são, geralmente, os que têm maior poder hidratante, garantindo uma pele bem hidratada e elástica, para além de serem mais seguros. A aplicação tem de ser diária, preferencialmente depois do banho», esclarece ainda o dermatologia da Idealmed.


Outro dos problemas comuns nesta fase prende-se com as primeiras manchas na tez, que se manifestam sobretudo através do aparecimento de manchas castanhas no rosto. A exposição solar, a gravidez e a pílula anticoncecional são as principais causas. Para as evitar e tratar, use sempre proteção solar, procure cremes despigmentantes e, caso necessário, recorra a peelings.


Marcas de vermelhidão também são muito comuns nesta fase. A pele com tendência para rosácea começa geralmente, a manifestar os seus primeiros sintomas, que incluem vermelhidão, couperose, pápulas inflamadas e pústulas. Este fenómeno surge mais frequentemente em peles claras, por causa da genética e da exposição solar. Alguns cosméticos irritantes podem, também, agravar o problema. Opte, por isso, por cosméticos para pele sensível e/ou com vermelhidão, faça uma higiene suave e use protetor solar.
Texto: Madalena Alçada Baptista com David Serra (dermatologista)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Como criar um terraço mediterrânico